Crystal Catcher - jogo super divertido para iPhone e Android

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

VOADEIRA "Á MODA ANTIGA".

Quando iniciei com a criação de periquitos australianos de exposição, os chamados “padrão inglês”, ainda não dominava algumas técnicas de manuseio que tanto nos facilita e nos leva por um caminho mais produtivo. Ao passar por um período de descanso, normalmente desde janeiro até março, cujo calor é um tanto intenso em Florianópolis e os periquitos costumavam trocar as penas, eu deixava todos juntos em uma enorme voadeira (um viveiro).

Na volta das férias eu me deparava com alguns periquitos machos apresentando ferimentos devido á brigas pelo acasalamento, assim como acasalamentos que não eram o que eu desejava. Encontrava arlequim recessivo acasalado com albino, com cintilante, com asa canela e assim por diante. Esta situação me atrapalhava porque depois de acasalados espontaneamente, eles apresentavam resistência para aceitarem outro quando eu os colocava na gaiola de cria.

Hoje optei pela maneira mais utilizada pelos criadores experientes, colocando os machos em uma voadeira e as fêmeas em outra. Desta forma evitam-se brigas e os acasalamentos desaconselháveis. Nesta foto ainda estão juntos machos e fêmeas, e de diversas mutações diferentes, como fazia no início.

Leia mais:

Viveiros para grande produção, sem luxo, só produção.

Criadouro e viveiro profissional.

Tipos de viveiros.

Disputa pela caixa ninho.

10 comentários:

gabriel moraes disse...

eu acho melhor assim ,pois as aves acasalam com quem elas querem e nao com quem a gente que!!!
e vc ve algum problema julio????

Julio Dutra disse...

Gabriel vai depender de quais as mutações estão juntas nesse viveiro e qual a intenção do criador. Sê você colocar machos e fêmeas juntos e pra você tanto faz quem vai acasalar com quem, então realmente esta é a melhor opção. Desta maneira vão se formar casais espontâneos e isto é bom. Porém se você cria para manter uma linha direcionada seguindo corretamente os padrões para exposição, então é problema, pois vão se acasalar, por exemplo, um Arlequim dominante com um recessivo. Ou um portador de Recessivo com um cintilante. Do ponto de vista de melhorar o padrão da mutação você andou para traz e deste acasalamento não vai dar para aproveitar nada. Então é melhor deixar machos em uma voadeira e fêmeas em outra, depois você vai formando casal por casal da maneira como deve ser.

melissa disse...

Adorei quando encontrei esse site. Através do Portal Vida de Periquito aprendi como criar melhor essas aves tão belas e alegres. Parabéns Julio Dutra.

Julio Dutra disse...

Valeu Melissa gosto muito de periquitos e procuro ajudar no que posso á pessoas que pedem ajuda.

Léa disse...

Bom dia!
Procurando uma melhor solução para um piriquito que encontrei na rua e recolhi, cheguei a esse blog.
Não ficarei com ele, mas gostaria muito de encontrar um lar apropriado. Alguém que irá amá-lo e oferecer uma condição de vida adequada. Se alguém aqui puder me ajudar ficarei elternamente grata.
meu e-mail leatravassos@superig.com.br
Posso enviar fotos dele.
Grata
Léa Travassos

Julio Dutra disse...

Muito bem Léa, esta publicado o seu pedido e veremos se algum interessado vai fazer contato.

willans de araujo silva disse...

Boa tarde, meu nome e Willians, sou de Feira de Santana BA, e venho parabenisar este site que ajuda em todos os aspectos os amantes de periquitos australianos. parabens (Julio).

Julio Dutra disse...

Valeu camarada, estamos aqui para tentar ajudar. Um grande abraço aqui de Florianópolis, Julio.

Anônimo disse...

Ola, tenho lagumas duvidas e gostaria de esclarece-las...
Comprei recentemente um casal de piriquitos ingleses...
Um macoh com peito verde e com as costas e cabeça amarelas, e uma femea albina ( recentemente percebi que ela tem uma leve tonalidade azulada em algumas penas ).
Então, gostaria de saber quais são os termos utilizados para definirem a femea que eu tenho?
E para definir o macho?
Que tipo e cores de filhotes que eles terão?
Coloquei o casal em um viveiro médio, algum problema?
Como posso saberse eles acasalarão e reproduzirão desde já?

Julio Dutra disse...

Amigo pela discrição o macho é um ADA verde claro e a albina tem reflexos azuis por ser filha de pai ou mãe azul. O ideal seria uma foto anexada no e-mail para que eu possa verificar com detalhes, mas deve ser isso mesmo. Para ser albina tem que ser branca e ter os olhos vermelhos. O macho ADA verde claro, (arlequim dominante australiano), se for portador de azul então nascerão filhos iguais a ele, ADA VC e também ADA azuis e normais azuis e normais verdes. Caso ele não porte azul, então todos os filhotes serão verdes. Os filhos machos serão todos portadores de "ino"' ou seja, gene para albino e lutino. (só os machos).

Ocorreu um erro neste gadget