Crystal Catcher - jogo super divertido para iPhone e Android

sábado, 2 de agosto de 2008

FATORES QUE INTERFEREM NA FERTILIDADE DOS PERIQUITOS, PARTE II

Por: Julio Cesar Dutra, criador de Periquito Inglês


Conversando com criadores de periquito de exposição ou australianos padrão inglês, tive a certeza de que todos conhecem bem de perto alguns problemas com a infertilidade nestas aves. São do conhecimento deles as informações como:

Não acasalar antes dos dez meses, pode ocasionar ovo entalado nas fêmeas (principalmente no inverno) e falta de espermatozóides nos machos.

Evitar usar fêmeas com quatro anos ou mais e machos com mais de cinco anos.

Por razões ainda não bem conhecidas alguns periquitos, mesmo adultos passam meses com ausência de espermatozóides, porém voltando ao normal depois.

Cuidar com o balanceamento da alimentação, pois periquitos gordos tendem a não se reproduzirem.

Existem ainda outras causas que aumentam o grau de infertilidade como excesso de vitaminas e medicamentos, excesso de calor ou de frio.

Algumas fêmeas permanecem tanto tempo dentro da caixa ninho que acabam dificultando o trabalho do macho em fertilizar os ovos. Neste caso devemos fechar a entrada da caixa ninho por algumas horas para facilitar o entendimento entre o casal.

Os poleiros muito finos ou frouxos (bambas), também dificultam no momento da cobertura. Outro fator importante é o manuseio dos ovos, podem ser contaminados devido à presença de stafilococus na mão do criador. Se precisar lavá-los deve ser feito com água á 40 graus e com a utilização de luvas descartáveis. A água fria não impede que os germes penetrem na casca do ovo. É sempre bom lembrar que a temperatura de incubação é de 38 graus, apenas dois graus a menos.

Parece muito difícil e que somente um especialista conseguiria driblar todos os obstáculos, mas não é assim que tem que ser visto. Se tivermos amor com as aves, paciência e um pouco de dedicação, a natureza nos recompensará com certeza e aos poucos as coisas vão se acertando.

Outra medida importante é evitar que criem nos meses mais frios e também nos mais quentes do ano.

No hemisfério sul se percebe melhor fertilidade “EVITANDO-SE” os meses de jun - jul - ago e os meses de jan - fev - mar.

Um bom preparo do casal antes de fornecer a caixa ninho também ajuda bastante, e falo de vermifugar e de complementar com revitalizantes e vitamina "E". Assim como alimentação equilibrada, um ambiente tranquilo, em harmonia ajudam bastante.



LEIA MAIS:



FATRORES QUE INTERFEREM NA FERTILIDADE DOS PERIQUITOS

Periquito suspeito

As necessidades dos Suplementos vitamínicos para pássaros em criadouro.

DOENÇAS NOS PERIQUITOS - Parte II
[ ... ]

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Fotos da Semana!!!











Verde claro portador de ino (lutino e albino)

[ ... ]

quinta-feira, 31 de julho de 2008

FATRORES QUE INTERFEREM NA FERTILIDADE DOS PERIQUITOS

Por: Julio Cesar Dutra, criador de Periquito Inglês



A baixa fertilidade nos periquitos preocupa bastante os criadores que não param de pesquisar em busca das respostas para este problema. É bastante difícil conseguir que 50% dos ovos eclodam. Existe um estudo feito através da análise de 1.200 ovos que não eclodiram, obtendo o seguinte resultado:



Situação do ovo número porcentagem:


- Branco: 879 - 73,3 %


- Filhote morto no ovo: 178 - 14,8 %


- Morte precoce do embrião: 133 - 11,1%


- Ovos deformados: 8 - 0,7%


- Ausência de gema: 2 - 0,2%



Após o sexto ou o oitavo dia de choco os ovos apresentam aumento na escuridão interna que pode ser observado com o auxílio da luz (uma lanterninha). Caso não aconteça são reconhecidos como “brancos” ou inférteis como os 879 da relação acima. Apesar de ser rara a infertilidade nos machos, isto pode acontecer quando, por exemplo, todos os ovos de uma postura forem “brancos”, pois uma fêmea não produziria ovos se fosse infértil.


Algumas vezes são diagnosticados como falha no acasalamento, como no caso em que o criador deixa machos e fêmeas juntos em um viveiro durante os períodos de descanso. Muitas vezes vai juntando filhotes de ambos os sexos até que fiquem adultos num mesmo ambiente. Isto faz com que se acasalem naturalmente e quando separados e apresentados a outro par eles não se adaptam bem ao outro parceiro. Por isto a recomendação é que fiquem separados por sexo até a época de acasalamento.


É constatado também que alguns machos, vez por outra, param de produzir espermatozóides por algum tempo voltando depois a normalizar. Alguns periquitos, principalmente pela evolução do padrão, apresentam penas mais compridas e muito fofas prejudicando o contato sexual na região da cloaca. Existe a recomendação (de alguns criadores), em se cortar as penas em volta desta região para que não atrapalhe no momento do encaixe entre as aberturas masculinas e femininas. (cortam as penas, não as plumas).


Este artigo continua aqui.


Leia também:


FATORES QUE INTERFEREM NA FERTILIDADE DOS PERIQUITOS, PARTE II


As necessidades dos Suplementos vitamínicos para pássaros em criadouro.


Resposta ao leitor: periquitos que não reproduzem


Criação de periquito australiano


CRIAÇÃO DE PERIQUITO INGLÊS EM VIVEIRO - PARTE II





[ ... ]

O FATOR ESCURO

Por: Julio Cesar Dutra, criador de Periquito Inglês



Em 1915 surgiu na Europa uma variedade diferente de periquito australiano. Tratava-se de um verde escuro. Naquela época só existiam verdes claros, alguns amarelos e os azuis claros (celestes). Mais tarde, quando dois verdes escuros foram acasalados, na expectativa de se produzir filhotes todos verdes escuros, houve uma surpresa: Somente a metade dos filhotes produzidos era da coloração verde escuro. A outra metade consistia de periquitos verdes claros e de uma nova variedade, os verdes olivas, que eram mais escuros que os verdes escuros. Estes periquitos (olivas) foram acasalados com os azuis celestes, e quando combinados, produziram o azul cobalto e o malva.


Obs.:


Celeste ............................= azul claro


Cobalto........................... = azul com um fator escuro


Malva ............................ = azul com dois fatores escuros


Verde claro..................... = Sem fator de escurecimento


Verde escuro................... = um fator de escurecimento


Verde oliva .................... = dois fatores de escurecimentos


Esta sendo publicada uma tabela com todos os cruzamentos entre estas cores e as possibilidades em porcentagem das cores dos filhotes.



LEIA MAIS:


AS CORES NOS PERIQUITOS AUSTRALIANOS


Como criar somente periquitos brancos?


MELHORANDO OS ARLEQUINS RECESSIVOS.


BELEZA X QUALIDADE

[ ... ]

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Curiosidade: Curió

Por: Julio Cesar Dutra, criador de Periquito Inglês

Nome : Curió

Outro nome: Avinhado

Nome científico : Oryzoborus angolensis

Siguinificado do nome : Curió siguinifica na linguagem indígena "amigo do homem"

Ordem : passeriforme

Família :Fringilidas

Nome em inglês : Thick-billed (lesser). Seed finch

Nome em espanhol :Semillero Picogueso

Alimentação no habitat natural : Alimentam-se basicamente de alguns insetos, vários sementes com exclusividade na semente do capim navalha (tiririca).
Esta praticamente extinto na natureza, pois o seu meio ambiente foi invadido pela agricultura, criação de gado e pelo avanço das construções imobiliária. Hoje devido ao trabalho abnegado de alguns criadores, já podemos dizer que esta espécie só não esta completamente extinta, devido aos criadouros que mantém viva esta idéia de melhorar cada vez mais este lindo pássaro e seu maravilhoso canto. Na natureza ele vive hoje pouco mais de três ou quatro anos, no cativeiro temos curiós com mais de tinta anos, vivendo saudável e em segurança.

[ ... ]

terça-feira, 29 de julho de 2008

Curiosidade: ALPISTE


Por: Julio Cesar Dutra, criador de Periquito Inglês


Grão rico em carboidratos e outros elementos importantes na alimentação dos periquitos. Ao contrário de que seu nome em inglês (canaryssed) sugere, este grão não é usado somente para canários, sendo, entretanto o principal componente da maioria das misturas de grãos para pássaros. Seu uso principal é nas misturas para canários, pássaros exóticos, pássaros silvestres, periquitos e periquitos gandes. É rico em hidrato de carbono, proteínas, vitamina B, vit. E, etc. O hidrato de carbono produz calorias, mantendo a saúde da ave, facilitando a digestão.

É recomendado que o alpiste sempre entre numa proporção de 50% da mistura ou mais, ele é que vai dar massa muscular e crescimento físico dos filhotes devido á proteína que contém.

Portanto use e abuse do alpiste em seus pássaros.

[ ... ]
Ocorreu um erro neste gadget