Crystal Catcher - jogo super divertido para iPhone e Android

terça-feira, 11 de maio de 2010

Blumenau 2010.

Nosso amigo Marlon, um Ilhéu que vive em Blumenau, vezes por outra nos apresenta mais uns filhotes de seus periquitos. São filhotes muito bonitos que trazem alegria e prazer aos apaixonados por estas aves.
Valeu Marlon, capricha nas fotos e nos mande para que o Brasil e o mundo os conheçam.















7 comentários:

Gabriel Martins disse...

Lindos passaros, hein? Lembro-me de ter visto alguns desses numa loja de passaros. Ainda sobre periquitos, tenho uma dúvida: Se um ovo rachar, só superficialmente, ainda tem chance de um ovo nascer? Minha familia se mudou e no vai e vem do carro, um ovinho que estava cheio, rachou um pouco, passou-se dois dias e ainda não está podre, então... Tem salvação?

Julio Dutra disse...

Gabriel eu acredito que ele não nascerá, pois quando sofre um choque que chega a quebrar a casca, mesmo que só um pouquinho, ele acaba morrendo. Quando tem ovos no ninho, independente do estágio de desenvolvimento do embrião, a gaiola não deve ser mais retirada do lugar. Só se pode mudar de lugar enquanto não tem ovo, senão este ovo será perdido. Tem que transportar antes da postura.

Marco disse...

Olá Julio,

Queria te fazer umas perguntas. Que padrão de periquito costuma resultar do acasalamento de um inglês com um australianinho comum? Eles necessariamente vão criar um misto de todas as características como tamanho, padrão de penas, etc. Ou podem sair tanto periquitos "quase ingleses" em características e perquitos pequenos iguais aos "australianinhos"?


Obrigado

Julio Dutra disse...

Marco essa mistura de periquitos grandes com os pequenos serve para as pessoas que por alguma razão não querem ou não podem criar padrão de exposição, os grandes. Na verdade eles são a mesma ave, ou seja, periquitos australianos. Os de exposição, que até ontem eram conhecidos como padrão inglês, foram transformados inicialmente na Inglaterra, a qual detinha a pose da Austrália como colônia sua. Então os ingleses traziam os pequenos e nativos periquitos australianos e os transformava além do tamanho e porte, também em outras cores. Atualmente os grandes criadores nacionais e internacionais estão preferindo o termo “periquito de exposição”, pois alguns países como Alemanha, Dinamarca, Suécia e outros vem apresentando trabalhos e resultados nos campeonatos europeus que com certeza já não devem mais nada aos ingleses. Então respondendo diretamente sua pergunta, a mistura dos dois melhora bastante o pequeninho e destrói o grande, resultando com o surgimento de um periquito mestiço, bonito, mas que não é mais nem um nem outro. Pra exposição não serve, mas no viveiro fica também muito bonito.

eder disse...

o que resulta do cruzamento de um periquito 3/4 (periquitão mestiço) com um inglês? Ha possiblidade de nascer algum inglês ou todos nascem mestiços?

Julio Dutra disse...

Eder nascerão mestiços iguais e melhores que este, mas inglês mesmo só depois de três ou quatro passagens dessa.
É quase matemática, ingês com australianinho dá um 50% ingl~es, este com um inglês novamente da um 75% nglês assim por diante.
É claro que tudo depende do início, que tipo de inglês e de australianinho começaram tudo.

Julio Dutra disse...

Aproveitamos a oportunidade para divulgar o novo e-mail, onde o leitor poderá estar enviando perguntas e anexando as fotos para verificar dúvidas e/ou plubicar no blog.
julio@vidadeperiquito.com.br

Ocorreu um erro neste gadget